quinta-feira, maio 09, 2013

GUERREIROS SOMOS TODOS NÓS



Tricolor que é tricolor não vai ao estádio esperando facilidade. Por mais fraco que o adversário seja todo mundo já vai pronto para sofrer.

Com a mesma galera boa de sempre fomos para São Januário em busca da classificação. “Esquentamos” para o jogo com uma bela loira gelada numa bela noite fria. Entramos e nos posicionamos no mesmo lugar do ultimo jogo (sem superstição), pois é o melhor ângulo na minha modesta opinião.

O que mais me deixou impressionado foi à tranquilidade que estava meu irmão que geralmente fica “pilhado” com esse tipo de jogo.

O jogo começou e afoito o Fluminense errava na saída de bola, principalmente o irreconhecível Jean que numa dessas saídas proporcionou o lance mais agudo do time equatoriano, mas para nossa sorte Cavalieri estava atento e salvou a pátria. Depois ainda teve outra, mas essa o jogador do Emelec chutou descaradamente o chão.

Continuávamos afoitos, mas já estávamos conseguindo levar mais perigo e quase que nosso camisa dez abre o placar de cabeça. Wellington nem quase chega no rebote do goleiro. Foi o estopim para inflamar ainda mais a torcida que não parava de cantar e aplaudir.

E o Fluminense partia para o ataque tentando tocar a bola e conseguia alguns êxitos pelas laterais com Bruno e com Carlinhos que sofreu uma falta. Aliás, como bate esse time do Equatoriano! Jean bate a falta com perfeição na cabeça de Fred ai não teve jeito! Gol e alivio geral depois do inicio claudicante. 

Nosso capita já estava extenuado antes do intervalo, mas mostrou brios a ir a campo mesmo que com pouquíssimas condições físicas.

Repormos as energias no intervalo

Mas para variar o Fluminense costuma jogar um tempo só. O primeiro tempo foi bom, mas entramos para administrar e isso não funciona bem com nosso tricolor e com isso recebemos sufoco desnecessário. Nem tanto sufoco assim, mas Eduardo, meu amigo, definiu bem a torcida quer tanto esse titulo que o time adversário não pode nem rondar a área do nosso tricolor que é uma chiadeira total. O time do Emelec mesmo perdendo não veio muito a fim de jogar bola. Já havia ganhado de presente à vitória em seu estádio e no Rio de Janeiro nem tentaram, só abriram a caixa de ferramenta e foram punidos com dois cartões vermelhos pelo arbitro. Isso facilitou nossa vida e abriu caminho para o segundo tento. Rhayner cruzou e Carlinhos escorou para rede coroando sua bela participação na peleja.

Guerreamos até o fim!

Suamos sangue como tem que ser. Libertadores é isso! Sangue nos olhos. Eu não conheço um time que tenha ganhado esse torneio jogando bonito ou dando espetáculo.

Somos Fluminense e quando ninguém acredita em nós é muito melhor, pois é na superação que nos tornamos gigantes.


3 comentários:

  1. Grande fase, hein Fabiano?

    Grande braxxxx.

    ResponderExcluir
  2. Texto maravilhoso. Tá ficando bom nisso hein Fabiano.

    Beijão

    ResponderExcluir
  3. Meu amigo ontem o Rio de Janeiro parou literalmente, tudo parado e só mesmo os loucos entendem esse sentimento que é ser tricolor. Para mim noites como essa são para entrar na história, não por termos ganho o jogo, mais pela vibração que mostramos nesta noite!

    ResponderExcluir

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.