terça-feira, dezembro 03, 2013

MARCARAM A DATA DO MATRIMÔNIO



Apressados, eles reataram o namoro e inclusive marcaram a data do casório para oito de Dezembro. Fluminense se apaixonou mesmo por essa menina que não há santo disposto a faze-lo largar desse matrimônio. 

Garra, dedicação e suor não faltou no jogo de sábado, mas sobrou incompetência, soberba e prepotência de nossos zagueiros, principalmente Leandro Euzébio e Digão que em um momento delicado querem sair jogando, como se fossem os melhores do mundo em suas posições e ao invés de serem apenas "zagueiro-zagueiro" e dar um bico para onde o nariz estivesse apontando. É Nessas horas que usa-se o jargão do futebol: bola pro mato que o jogo é de campeonato. 

Saímos atrás do placar, para variar. Jogamos contra um atlético que veio jogar no maracanã como se valesse um título. E é assim que todos deveriam jogar. Essa história de malas branca, preta ou azul só empobrece ainda mais o pobre futebol brasileiro.

Tínhamos que fazer o improvável e com ajuda de um pouco mais de 45 mil apaixonados conseguimos empatar com Gum no fim do primeiro tempo, depois de um bate rebate incrível. Mas antes disso tínhamos fuzilado a meta do goleiro Victor por pelo menos três vezes. Exigindo dele performance que o consagrou o melhor da América do sul em sua posição. 

Conseguimos o chamado improvável e viramos o placar num lance magistral de Wagner que deixou Biro-Biro na cara do gol. O moleque finalizou como poucos e acertou o ângulo adversário levando a galera ao delírio.

Era vitória que precisamos para espantar esse mulher que está no encalço do meu amado tricolor.  Mas como diz o ditado tudo que é bom dura pouco. Digão, em sua genial burrice, saiu jogando errado onde era para dar um bico e jogar a bola fora do estádio. Bobeou e pimba! Empate atleticano. E por pouco não foi derrotado. Ainda bem que a bola do Diego Tardelli foi caprichosamente no travessão. Mais um empate na conta tricolor quando só a vitória interessava. 

Agora é torcer pelos outros, pois o Fluminense foi incompetente em seus domínios para vencer não só o Atlético, mas Corinthians, Ponte Preta, Coritiba, Grêmio... onde reunia todas as condições pra vencer e não o fez. Nem vou enumerar, por hora, as outras mazelas do tipo: fazer corpo mole por causa de treinador, por dinheiro de prêmios. Isso foi nítido em alguns momentos de 2013. 

Fluminense, se queres continuar na série A está indo ao lugar certo.  Bahia!  Bahia de todos os santos.  Vamos apelar para os santos, orixás, pastores e até mesmo padres, que todos em uma só comunhão se sintonizem com os deuses do futebol e nos conceda mais essa graça.
O negócio é ter fé e torcer para que a combinação nos favoreça. E com isso, nos dê a oportunidade de aprendermos com nossos erros.

3 comentários:

  1. Espero que Digão&Cia tenham aprendido a lição de uma vez por todas. E xô, dona Segundona! Estamos vivos! SSTT4!!!! Roger de Sena.

    ResponderExcluir
  2. Fé palavra pequena com um significado imenso, somente o que sentimos justifica o que fazemos, possibilidade de não cair existe? Lógico que sim é impossivel? Não. Improvável? Talvez. Mas vamos acreditar até o fim!

    ResponderExcluir
  3. Eu tbm não joguei a toalha, poi o FLUZÃO é assim... Mas que Digão se esforçou e muito p/entregar o jogo contra o Atl/MG é fato.

    Um abççç

    ResponderExcluir

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.