quinta-feira, setembro 05, 2019

O futuro do Fluminense: união com quais diretrizes?



Vivemos tempos de crise no Fluminense Football Club, provavelmente a pior em sua história. Além da tristeza e indignação, parte significativa da torcida tricolor ainda carrega o sentimento da impotência. O que fazer? Será que é possível ajudar?  Quais são as possibilidades de atuação e minhas limitações, enquanto torcedor? E com isso surgem os mais variados discursos que se alinham na necessidade de uma "união"

Os diagnósticos são muitos. Os problemas internos do clube, que transcendem as figuras Mário-Celso, ou Peter-Abad, estão cada vez mais evidentes. As disputas fratricidas entre grupos políticos sedentos  pelo micropoder já estão escancaradas. Mas isso não quer dizer que haja uma saída alternativa única, e nem que seja possível uma "união" sem conteúdo programático.

Louvável a iniciativa de tricolores que buscam, nesse momento, dialogar e conversar sobre Fluminense, na tentativa até de construir, quem sabe, um pólo de mobilização na torcida tricolor. O único cuidado é com a dita ''união''. Colocada a todo instante como necessária, esta não pode ser tratada de forma superficial, pois, se assim for, não representará nada além de demagogia, mera exposição de que se importa com o clube, sem qualquer efeito prático.

Até os que amam o Fluminense incondicionalmente e não possuem os mesmos interesses espúrios de vários que hoje se mantém nas Laranjeiras, ainda que concordem com diretrizes gerais, divergem sobre qual rumo tomar, pois são várias as possibilidades e os caminhos, que não independem de escolhas e projetos políticos. Essas divergências não podem ser ignoradas. 

É preciso estabelecer, portanto, um debate franco: união com quem? Com quais diretrizes? Para que fim? 

Difícil pensar numa alternativa que não perpasse, necessariamente, por essas perguntas e pelo reconhecimento de que apenas um movimento de massas, de fora para dentro, consolidado no debate e na construção de um programa comum, é capaz de mudar a realidade do Fluminense.

terça-feira, junho 11, 2019

Eleição no Flu e a necessidade de ampliar a participação do torcedor!

 
Texto publicado no blog "Faz Laranjeiras de novo sonhar!", por Hugo Ottati
 
No último sábado, dia 08, foi eleito o novo presidente do Fluminense para o próximo triênio: Mário Bittencourt, com 2.225 votos. O adversário, Ricardo Tenório, obteve 1.032 votos. Ao todo, foram 3.286 votos. Diante desse cenário, algumas breves reflexões precisam ser feitas.

Primeiro que é muito estranho pensar que cerca de três mil pessoas decidem o futuro de um clube com a grandeza do Fluminense, que possui milhões de torcedores. Ainda que esse número seja superior ou esteja na média, se comparado com outros grandes clubes do Rio, me parece pouco representativa e democrática esta decisão.
Mas, ok, são as regras do jogo. Por isso é importante entender a necessidade de ser sócio, principalmente no momento que vive o clube. É público o fato de que parcela considerável dos sócios não acompanha futebol e vários nem tricolores são. Essas pessoas votam. Só há uma forma de diminuir o peso desses votos: fazendo com que torcedores, de arquibancada ou que acompanham o Fluminense de alguma forma, assumam a responsabilidade com o futuro tricolor.
Além disso, um rápido comparativo com a última eleição, realizada em 2016, é possível perceber que houve um decréscimo no número de sócios aptos a votar e também de votantes. Em 2016 eram aproximadamente 12 mil sócios aptos e a eleição contou com um pouco mais de 4 mil votos. No sábado eram 9 mil aptos e foram 3 mil votos. 
Em ambos os pleitos, cerca de 1/3 dos sócios decidiram pelo novo mandatário. Mas a redução no número de sócios aptos e de votantes reflete não só a crise política e de representatividade que vive o Fluminense, mas os péssimos resultados dos últimos anos.
Em 2017, a partir da entrada de Pedro Abad na presidência tricolor, o Fluminense só venceu a Taça Guanabara. Perdeu a final do Carioca para o Flamengo; foi eliminado da Primeira Liga para o Londrina; na Copa do Brasil pelo Grêmio (5 a 1 no somatório); na Sulamericana pelo Flamengo (4 a 3 no somatório); e terminou em 14° no Campeonato Brasileiro com 47 pontos (11V e 13D). Um aproveitamento de 48% no ano. 
Em 2018, com um dos piores times da história do clube, embora tenha sido campeão da Taça Rio, não alcançou a semifinal da Taça Guanabara, perdeu para o Vasco na semifinal do Carioca; eliminado pelo Avaí na Copa do Brasil (3 a 1 no somatório); pelo Atlético-PR na Sulamericana (4 a 0 no somatório); terminou em 12° no Campeonato Brasileiro com 45 pontos (12V e 17D).
Fato é que, embora não tenha acesso ao número total sócios de 2016 e de 2019, incluindo os não aptos a votar, podemos observar que houve uma redução de mais de três mil sócios com requisitos para votar, o que significa que esse quantitativo de pessoas deixou de ser sócio neste período.
Que a nova diretoria, comandada por Mário Bittencourt e Celso Barros, veja essa pauta de sócios, efetivando uma revisão dos planos oferecidos, inclusive com a possibilidade de um plano popular e para tricolores de fora do Rio e do Brasil; priorizem a aproximação do clube com o sócio-torcedor; e estudem a viabilidade do voto online e outras formas de ampliar a democracia e participação dos sócios nas decisões do clube. 
Saudações Tricolores,

Hugo Ottati 

quinta-feira, junho 06, 2019

De cabeça erguida, ainda sonhamos

Foto: Lucas Mercon/Fluminense

Por Hugo Ottati


Deixamos a Copa do Brasil, mas de cabeça erguida. As críticas devem ser feitas, é óbvio, porque melhorar é possível e o Diniz sabe disso. A tristeza da eliminação vem, natural, principalmente pelo fato de que o Fluminense não ocupa uma posição no futebol brasileiro digna de sua história. Mas a situação hoje é essa não por culpa deste elenco ou do técnico, mas por questões políticas e gestões desastrosas.


Não lembram como terminamos o ano passado? O que você esperava do Fluminense para 2019? O pessimismo e a descrença de dezembro, evidente na maior parte da torcida tricolor, se tornou, ao longo desses últimos meses, em um fio de esperança, a partir de um trabalho que vem sendo realizado, não nos bastidores pela corja que comanda o clube, mas por um grupo humilde, comprometido, comandado por Diniz, e que respeita essa camisa. 

Limitados? sim, são. Isto é inegável. O elenco é limitado e alguns jogadores, individualmente, também. Mas raça, vontade e coesão não tem faltado. Hoje foi mais uma prova disso: a escolha ousada de Diniz em tirar os dois zagueiros em sintonia com a equipe que, de forma organizada (fator determinante), não se entregou até o minuto final, sendo coroada com um belíssimo gol de João Pedro. 

Ao meu ver, o resultado no Maracanã (1 a 1) pesou mais do que o de hoje. Em casa, com a torcida, dominamos a partida, mas não conseguimos balançar as redes, enfrentando um Cruzeiro covarde. O empate nos forçou a ter de garantir a classificação no Mineirão e jogamos de igual para igual. Do lado de lá um clube que, há anos, mantém um investimento milionário, com peças qualificadas de reposição. Abrimos o placar e fomos muito superiores na primeira etapa. Depois da virada do Cruzeiro, não desistimos, partimos pra cima e arrancamos um empate. Pênalti é pênalti, difícil comentar.
Individualmente, vale considerar: Agenor foi muito bem. Criticado por Diniz em determinados lances, fez o fácil, de forma segura, agarrou um pênalti e assumiu os chutões quando necessários. Ferraz fez falta, mas Frazan jogou seguro, não comprometeu. Allan, jogador que já critiquei algumas vezes, fez uma partidaça. Brenner surpreendeu. Miguel, menino de 16 anos que entrou no fim da partida, nos poucos toques na bola, demonstrou ter futebol para apresentar. João Pedro é diferenciado, um absurdo. Num geral, o time foi bem (Daniel, Caio Henrique, etc). Aliás, falando em Caio Henrique, insisto em dizer que acho um erro do Diniz subutilizá-lo na lateral, sendo um dos melhores jogadores do elenco. Ganso não poderia ter perdido dois pênaltis no jogo, eu concordo, mas o pior pelo lado tricolor, na minha opinião, foi Gilberto. Difícil encontrar algum acerto do lateral no jogo, além de ter cometido um pênalti e ter perdido na disputa final.

Agora é contra o time da Gávea, domingo, pelo Brasileirão. Venceremos. 
Que a torcida compareça ao Maracanã! 

Saudações Tricolores! 
________________________
"E faz Laranjeiras de novo sonhar!"
www.laranjeirasdenovosonhar.blogspot.com

terça-feira, junho 04, 2019

A seleção joga amanhã às 19h15! [Pré-Jogo]

Amanhã (quarta-feira, 05) enfrentamos o Cruzeiro pelo segundo jogo das oitavas de final da Copa do Brasil, às 19h15, no Mineirão. Portanto, embora a TV Globo vá transmitir um jogo às 21h30, a seleção joga às 19h15! 

No primeiro jogo, em casa, ficamos no empate (1 a 1), o que nos força a ter de vencer para permanecer na competição. Aliás, vale dizer, a Copa do Brasil é a que mais rende financeiramente aos clubes, com premiações em todas as fases. Alcançar às quartas de final significa estar mais próximo do título e ainda receber R$3 milhões. 

Quanto ao adversário, o Cruzeiro se encontra em jejum de vitórias. São seis jogos sem vencer. Em um deles, inclusive, foi goleado pelo Flu, por 4 a 1, no Brasileirão. Eles também precisam vencer para avançar e, por isso, a torcida estará em peso desejando que o time saia mais para o jogo, o que definitivamente não aconteceu no Maracanã. Isto pode fazer com que seja um jogo de mais espaços, o que não é necessariamente algo ruim para o Fluminense, que tem muita dificuldade de marcar gols quando o adversário se fecha no setor defensivo. 

Outro ponto importante: lesionados no jogo contra o Sintético-PR, Yony González e Matheus Ferraz não estarão a disposição de Diniz. Embora seja um jogador de muita raça e tenha feito boas partidas, a ausência de Yony González não compromete tanto quanto a de Ferraz. No setor ofensivo, Diniz tem algumas opções. Agora, na zaga, o provável substituto é o Frazan (#FÉ), mas existe a possibilidade de colocar Luan, do sub-20, relacionado para a partida.

Arriscar uma escalação? Rodolfo, Gilberto, Nino, Frazan (Luan) e Caio Henrique (acho difícil Diniz tirá-lo da lateral, infelizmente); Allan, Daniel, Ganso, Léo Arthur, Luciano e João Pedro. 

Que Fred continue sem marcar contra o Flu; que o time apresente um bom futebol e seja capaz de balançar as redes. Confiança na vitória e na classificação! Isso aqui é Fluminense!

Saudações Tricolores! 

Hugo Ottati 

segunda-feira, junho 03, 2019

É preciso dizer: Diniz erra, mas não deve sair.




Por Hugo Ottati


Além do debate sobre a eleição presidencial, existe outra discussão que tem se tornado central no Fluminense: o desempenho da equipe ao comando de Fernando Diniz. Aliás, esse assunto não tem só dividido a torcida, mas tem sido, num geral, tratado de forma rasa e simplista, como se só fosse possível: ser a favor de Diniz e sua filosofia; ou ser contra e desejar sua saída do clube. 

Só que é preciso dizer: quem critica Diniz não necessariamente deseja sua saída. É plenamente possível reconhecer erros e tecer críticas ao desempenho, às escalações e determinadas posturas de Diniz, entendendo que hoje não há opção melhor para figurar como treinador do Fluminense. 

A insistência em colocar diversos volantes durante um período considerável, abrangendo jogos contra Santa Cruz (D: 2x0); Goiás (D: 1x0); Santos (D: 2x1); Grêmio (3x0 no início da partida); em subutilizar Caio Henrique, um dos melhores jogadores do atual elenco, na lateral; a demora em colocar os meninos de Xerém (Marcos Paulo e João Pedro), requisitados pela torcida há tempos; a não substituição de Airton, faltoso e já com cartão amarelo, no jogo contra o Atlético-PR.

São alguns exemplos de críticas que devem ser feitas. 

É totalmente contraproducente se omitir em apontar os erros e cobrar melhorias. O Fluminense vem tendo atuações irregulares e não ocupa uma boa posição, digna de sua grandeza, na tabela do Campeonato Brasileiro. 

Simplificar o debate, forçando uma binariedade burra (a favor vs. contra) não vai ajudar o Fluminense, e nem o Diniz. 

segunda-feira, janeiro 22, 2018

CRISE DE IDENTIDADE


Com o tempo mais escasso hoje, venho aqui depois de bastante tempo afastado deste Cantinho, onde me acostumei a passar o que sinto e o que penso sobre o Fluminense.

Falar sobre o Fluminense é um prazer e podem acreditar isso é a mais pura realidade. 

Procuro ser uma pessoa sempre otimista e sempre tento me alinhar com pensamentos positivos, logicamente dentro de um conceito respeitando a realidade, mas o que vem acontecendo com todo o universo que diz respeito ao tricolor, me causa uma certa tristeza e preocupação.

FLUMINENSE NOSSO AMOR
Sou Tricolor de coração pois aprendi a torcer para um time vibrante, um clube organizado e uma torcida diferenciada, que sempre soube se colocar acima de qualquer dificuldade(e olha que fomos ao inferno em 1998)...

Confesso que hoje desconheço um pouco nosso clube... Está deixando de ser vibrante, de ser organizado(isso já faz tempo), de ser vencedor... 

Pior de tudo é ver a nossa torcida diferente... Uma torcida dividida, uma torcida rancorosa, uma torcida inerte e uma torcida negativa, prejudicial ao clube... 

Muito do que acontece no Fluminense hoje não nos enche os olhos realmente, sabemos que fomos vítimas de administrações desastrosas que não souberam aproveitar o patrocínio que tínhamos e ainda usaram de má-fé em muitas circunstâncias...

PETER - ENGODO MAN
Esse linchamento diário do atual Presidente e desta diretoria atual é uma coisa cansativa e que não nos levam a lugar algum... Concordo também que esta mesma diretoria tem que ser mais firme e ser mais cuidadosa na forma de conduzir o futebol, vide nosso departamento de Marketing patético e da saída dos "oito jogadores", onde nesse "bonde" tinha um jogador mega vitorioso e que merecia mais respeito na saída(fato que o próprio Presidente Abad reconheceu tardiamente, mas vi esse ato como um mérito)...

Escrevo essa mal e humildes linhas relatando o meu descontentamento, e o meu desânimo com o estado de coisas atuais no Fluminense... O Time não ajuda? - Concordo... A diretoria erra muito? - Concordo... Temos que cobrar? Concordo... Mas não podemos esquecer que todos nós somos Fluminense!!! 

Sempre digo que o pior adversário do Fluminense, é o próprio Fluminense!!!

Estamos nos perdendo, estamos brigando entre si, esse é o deleite para aqueles que nos odeiam, aqueles que nos querem ver na lama...

Essa crise de identidade que assolou o país, chegou ao Fluminense, infelizmente.

Mais uma vez vou falar aqui, unidos somos mais fortes... Hoje o presidente é o Abad e temos que apontar soluções, temos que apoiar o time, e não denegrir nosso clube, todos os dias bombardear a atual diretoria ou o clube com notícias torpes e muitas eleitoreiras e revanchistas... 

Fico a vontade pra falar porque sou INDEPENDENTE de política no Fluminense, eu sou torcedor e quero sempre o bem do Fluminense, não estou atrás de cargo e nem dinheiro do clube...

FLUMINENSE É MAIOR QUE TODOS
Vaidades, posições pessoais e politicagem barata devem ser colocadas de lado e agora temos que ter paz e deixar que a equipe se reestruture e deixarmos a diretoria trabalhar com essa nova filosofia.

Caso coisas erradas aconteçam ao longo do ano podemos sim criticar e apontar as soluções e até protestar com legitimidade e sempre pensando no clube.

Eu tenho fé que esse ano ainda o Fluminense, poderá voltar a ser um clube mais feliz, mais organizado e com um time vibrante e competitivo.

Estão chegando Gilberto, que na minha opinião é melhor que o Lucas e o Renato juntos. Jadson volante, no Botafogo não teve oportunidades mas pode ser útil no esquema do Abel. Airton é um excelente cabeça de área com boa técnica e força na marcação e De Amores, goleiro uruguaio de boa qualidade e novo. São Craques? - Não! Mas dentro de um time bem treinado e com uma liga que toda equipe necessita ter, podemos sim competir por algo nessa temporada, sim senhor!!!

Ainda teremos a chegada de algumas peças e vamos esperar para poder avaliar a equipe de 2018, sem profetismo apocalíptico, sem oportunismo ou sem exaltações desnecessárias...

Temos que deixar de ser uma torcida tripolar e voltar a sermos uma torcida inteligente, e isso na acepção da palavra...
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AIRTON

Chega pra ser titular absoluto. Senão se machucar será uma peça fundamental no esquema do Abel. 

Volante que joga de cabeça erguida, tem boa técnica e marca muito forte.

EXCELENTE CONTRATAÇÃO
Diferentemente da época da Gávea, não dá mais botinadas, onde era um jogador super violento.

Hoje joga bola, sendo um jogador interessante para saída de bola para o contra-ataque.

Bola dentro da Diretoria.
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
SCARPA

Não vou me alongar nesse assunto. Esse cidadão teve uma conduta covarde e saiu do clube sem ao menos se portar como homem, assim como Henrique Dourado fez até o presente momento.

Ingrato ao falar mal do Fluminense... Tinha todo direito de sair e exigir seus direitos, mas não da forma que fez... Expondo o clube, que o fez conhecido e o formou como atleta.

Na entrevista de apresentação no novo clube teve a petulância de falar mal do Fluminense. Além de safado, ingrato, é muito mal assessorado... se ele foi sacaneado, ele foi pela atual diretoria, e portanto use o nome diretoria atual do Fluminense, e não nome do clube diretamente... 

Agora esse verme se junta ao Diego Souza como jogadores que nunca mais devam passar perto das Laranjeiras...
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Saudações Tricolores!!!
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

segunda-feira, agosto 28, 2017

DESILUSÃO


CANTINHO DO LARANJAL

Vitória emocionante contra o galo e a expectativa era que enfim o Fluminense fosse embalar no Campeonato e nos dar um alento nessa temporada sem graça e monótona em que a equipe está inserida nesse momento.

Infelizmente como vem acontecendo nesses últimos quatro anos, nosso time mais uma vez decepcionou...

Diante da maioria de seus torcedores no Maracanã, os comandados de Abel fizeram uma partida patética e perderam para fraquíssimo time do Vasco da Gama. O Adversário vinha de cinco jogos sem vencer e sem qualquer confiança de recuperação... Mais uma vez o Fluminense colocou em prática sua mania de "Levantar defuntos" e assim aconteceu mais uma derrota nesse Campeonato Brasileiro 2017.

Uma derrota que traz desilusão, entristece e nos põe a pensar como uma equipe mais organizada e com bons valores individuais consegue a proeza de perder duas vezes para uma equipe bem inferior?

FLUMINENSE JOGA MUITO MAL E PERDE PARA O VASCO
 Acho que temos que focar agora na Copa Sul Americana e na possibilidade de levantar um caneco esse ano(Taça Guanabara nem conta mais) e nesse Brasileiro acho que os 46 pontos devem chegar logo.

Aos profetas do Apocalipse por favor sosseguem, acho ridículo ficar bradando fora Abad a todo momento. O que vocês querem que o cara faça? Temos que nos unir e tentar abraçar essa equipe para que ela termine esse ano de uma maneira bacana. Temos que entender que o momento é de união para que no futuro mais próximo possível possamos disputar com mais força as competições.

Ficar gritando fora Abad, Fora Abel(um descalabro) e achincalhando o time e o clube não é coisa de tricolor nesse momento, me desculpe, torça pra outro time...

Saudações Tricolores!!!
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

segunda-feira, agosto 14, 2017

SEMANA LONGA



Essa semana começa com um jogo na segunda, e um jogo difícil porém palpável contra o Peixe, no Pacaembu. Pode ser quando você leia esse post o jogo esteja terminando, mas vejo o Fluminense hoje com uma boa possibilidade de vitória contra um Santos desfalcado de alguns titulares.

Jogo que pode ser decidido pelo nosso melhor jogador: Gustavo Scarpa.

Hoje se quisermos um resultado grande, dependeremos de sua atuação e alguma coisa me diz que ele corresponderá.

GUSTAVO SCARPA - ESPERANÇA HOJE CONTRA O SANTOS

A hora é agora. O que o Fluminense quer no Campeonato? O que pretende fazer?

Espero que os jogadores estejam convictos em levar o nosso Fluzão a próximo Taça Libertadores de 2018.

E essa semana será longa como disse, pois jogaremos de novo na segunda que vem.

Nossa semana começará hoje e terminará na outra segunda as 22:00 da noite e espero que seja com duas vitórias...
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
SAUDAÇÕES TRICOLORES!!!